Você conhece a Ararajuba?

Apesar de existirem exemplares de ararajubas em muitos zoológicos brasileiros, poucas pessoas conhecem essa ave tão especial.

A ararajuba (Guaruba guarouba) é uma ave da família das araras, papagaios e periquitos, de coloração predominantemente amarela com penas verdes nas pontas das asas:

57a59e452f6183c335e501d1ae73bcd4
Crédito da imagem.

É endêmica do Brasil, ou seja, só é encontrada no país, ocorrendo nos estados do norte e no Mato Grosso, estando sob ameaça em todos eles. É considerada vulnerável pela IUCN (International Union for Conservation of Nature and Natural Resources, órgão internacional que cataloga os registros de todos os animais, seus habitats e ameaças), sendo muito perseguida por caçadores ilegais para vendê-la como animal de estimação, além de perder cada vez mais espaço para a expansão das atividades agropecuárias.

Área de ocorrência da ararajuba.

Um dos papéis mais importantes desempenhados pelas ararajubas na natureza é a dispersão de sementes (veja no vídeo abaixo). Ao se alimentarem de frutos nativos, essas aves engolem as sementes, que são defecadas posteriormente e germinam ao caírem no solo. Dessa forma, elas contribuem para que as florestas tropicais continuem existindo.

Contudo, devido à sua beleza e inteligência, as ararajubas têm sido capturadas e mantidas em cativeiro com muita frequência. Além da maioria dessas capturas serem ilegais e desequilibrarem as populações nativas dessas aves, elas produzem um outro efeito extremamente negativo nos animais: o feather plucking (arrancar de penas). Esse comportamento é muito prejudicial porém comum nas ararajubas de cativeiro e outros psitacídeos (araras, papagaios e periquitos), evidenciando o enorme estresse a que são submetidos, seja pelo isolamento, má alimentação ou por falta de atividades nos recintos. Veja nas fotos a seguir como ficam as aves após o feather plucking:


Abaixo, protetores de penas para que as aves não as arranquem (uma solução de curto prazo que deve ser combinada a um melhor tratamento dispensado aos animais estressados):

FeatherProtectors

As ararajubas, assim como os outros psitacídeos, são animais sociais, gregários e, principalmente, monogâmicos. Portanto, mantê-las em cativeiro provoca efeitos psicológicos e físicos devastadores. O enriquecimento ambiental, por isso, é muito desejável nesses casos. Ele se baseia na introdução de estímulos no cativeiro, como esconder os alimentos em blocos de gelo ou soltar presas vivas para despertar os instintos de busca por comida (no caso dos carnívoros). Também são realizadas atividades para que os animais cativos se ressocializem e superem possíveis comportamentos depressivos que porventura apresentem.

Crédito da imagem.

É importante ressaltar que, uma vez em cativeiro por tempo prolongado, os psitacídeos não podem mais ser soltos na natureza pois se apegam firmemente aos humanos, o que destaca a importância da realização e manutenção do enriquecimento ambiental com essas aves.

Saiba mais sobre a ararajuba e o estresse provocado pelo cativeiro aqui!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s